Estigma


Tu vives apontando os meus defeitos,
jogando em minha cara os meus fracassos,
e esqueces que esqueci os bons preceitos
após seguir o rumo dos teus passos...

E, escrava das maranhas dos teus braços,
tentei vencer racismo, preconceitos,
para fortalecer os nossos laços
pelo teu gênio mau quase desfeitos.

Perdoa se te acuso de genioso,
pois é terrivelmente doloroso
até pensar que, um dia, te acusei.

E atenta que, apesar de os teus deslizes
deixarem tão profundas cicatrizes,
ninguém te amou, jamais, como eu te amei...

 

BIBLIOTECAS DO MUNDO TODO Índice Próxima